• Rosana Seager

Abraço


Abraço


Ato de envolver com os dois braços uma outra pessoa, acolher, ter coração com coração frente a frente, colados.


Dar colo.


Dar segurança.


Dar espaço para se deixar ser cuidado.


O abraço é único e especial para cada situação, necessidade e demanda.


Uma vez ouvi falar que nunca devemos interromper o abraço de uma criança antes que ela decida que já recebeu aquilo que precisava.

Desde então passei a aplicar isso não só nas minhas filhas, mas em todo e qualquer abraço que damos e/ou recebemos.

O resultado é incrível!


O desafio é conseguir honrar o nosso tempo de abraço quando precisamos de alguns segundos a mais. E de receber esses segundos a mais que venhamos a necessitar de alguém sensível com nossa necessidade.


Como encontrar o equilíbrio de quem abraça e de quem é abraçado?

Não será o abraço um ato mútuo?


Com a pandemia, acho que o que mais sinto saudades é de longos abraços de família, de amigos, de mulheres irmãs.


Tenho a sorte de ter pessoinhas que nasceram de mim bastante abracentas e de um parceiro de vida que me dá colo sempre que preciso.

Além de uma mãe que mora no mesmo andar e que trocamos abraços sempre que precisamos.

Assim vamos suprindo nosso reservatório de abraços.


Você gosta de abraço?


Desejo um ano de muitos abraços seguros, com o tempo que precisamos de abraço.

Xô covid! Que venham os abraços.