• Rosana Seager

Estresse dos pais x estresse do bebê

Atualizado: 18 de jan.


Nessa semana, na aula de massagem para bebês falamos sobre a relação do stress dos pais com o stress dos bebês.


Será que tem a ver???


Pela experiência e pela escuta de diversas outras famílias, a resposta é sim!


São muito sensíveis e eles nos tem como porto seguro. Somos nós que damos o colo, que asseguramos com o olhar se algo é seguro. Somos nós que seguramos o nervoso frente a uma queda feia ou um corte profundo.

Somos nós que damos chão para que eles possam pular e alçar voo.


Acontece que nós nem sempre nos sentimos muito porto seguro de ninguém e, muitas vezes, somos nós que precisamos de um chão para pisar e enraizar para não quebrar com o vendaval da vida.

E é claro que nessas horas, eles sentem que o chão treme e reagem à insegurança.


Mais choro, mais noites em claro, menos comida que entra boca adentro, mais impaciência, mais vezes que testam os limites, etc.


Frente a isso, o que podemos fazer?

Nos culpar é sempre o primeiro da lista, mas isso não resolve nada, só piora.


Uma dica que gosto de dar e que preciso praticar mais no meu dia-a-dia é conversar e explicar para minhas filhas (de maneira adaptada, claro) o que está passando e porque estou estressada. Eles entendem muito mais que imaginamos.


Também peço desculpas e peço abraço. Isso tende a funcionar bem.


O difícil é a gente conseguir reconhecer no choro da criança, um choro que é nosso na verdade.

Pensemos: como gostaríamos de ser acolhidos num momento de estresse? Talvez isso nos ajude a pensar como lidar com o resultado do nosso estresse nas nossas crianças.


Vamos compartilhar dicas de manejo do estresse?

deixe nos comentários!


Percebe que ao cuidarmos de nós mesmas, isso influencia diretamente nos nossos filhos?