• Rosana Seager

Maternidade é construção e desconstrução


Maternidade é uma construção de uma nova identidade.

Por isso uma desconstrução de ideiais, de prioridades, de expectativas, da pessoa que éramos antes de um filho nascer.

Isso não acontece de um dia para o outro. Leva-se tempo. O tempo que for preciso para não somente virar mãe, mas para ser mãe e ser feliz.

Tabu?

Infelizmente ainda sim.

Muitas mulheres ainda sofrem sozinhas, negando sentimentos de solidão, de desamparo, de desconforto com o maternar.

Ser mãe é CONSTRUÇÃO. *

*

Ser mãe é visitar terrenos próprios inexplorados antes, reconhecendo e se perdendo na linha tênue do auto-limite.

É cuidar mesmo quando não se tem vontade.

É perceber que esse cuidar requer o ser cuidado também.

Ser cuidado, necessitar desse cuidado é inerente à espécie humana.

Maternar significa cuidados em todos os aspectos, todas as frentes, todos os corpos, todas as organizações, planejamentos, administrações e flexibilidade de saber lidar com o inesperado e com a total falta de controle.

Para maternar e ser feliz, curtir esse maternar (pelo menos numa proporção maior que o não curtir) é de CRUCIAL importância recebermos também cuidado.

*

Fui perceber isso, me atentar a mim mesma 5 anos após o início do meu processo de transformação em mãe.

Como é bom identificar o que precisamos para sermos felizes.

Meu auto-cuidado tem sido essencial para minha maternagem ser feliz e gostosa de viver.

*

Hoje a Clara completa 5 anos e eu só tenho a agradecer por ela ser essa alma extremamente sensível e compreensível que me demanda e me recruta para meu papel de mãe. Te amo, filha!


#maternidadereal